O engenheiro de processos Rodrigo Cruz, 45 anos, mora em Louveira, próximo a Jundiaí-SP. Atleta da Tatinho´s Runners, Bolaxa, como é conhecido, conseguiu realizar um sonho durante a pandemia: correu sua primeira maratona. Um desafio para poucos. Confira!

“Mesmo com uma infância muito ativa, praticante de bike, skate e futebol, a obesidade sempre esteve presente, talvez por falta de disciplina e por gostar muito de comer.

Aos 26 anos, em 2003, a ficha caiu ao subir na balança e ver a inusitada marca de 132,7 quilos. Com a ajuda de uma endocrinologista e com a prática de caminhada, eliminei pouco mais de 35 quilos. Essa foi a fase um do processo. Pouco tempo depois veio a faculdade e com ela a falta de tempo para as caminhadas. Cinco anos depois o peso havia subido para 115 quilos.

Em 2013 as coisas começaram a mudar de forma um tanto quanto natural. Já praticava caminhadas e corridas intermitentes na academia até que um amigo do trabalho me convenceu a participar da Corrida 9 de julho” em Jundiaí. Ali, pela primeira vez na vida havia conseguido correr 5k sem parar um instante sequer. Uma grande vitória! Esse foi o marco ZERO de uma grande mudança que estaria por vir. Minha esposa também embarcou nessa e desde então não paramos mais.

Em 2017, entendi que para correr com mais facilidade e maiores distâncias seria preciso uma orientação profissional. Então buscamos o treinador Fábio Aguiar da assessoria Tatinho’s Runners. Até hoje foram muitos desafios pessoais, tais como minha primeira meia maratona, em 2018, e a primeira maratona, em 2019.

A evolução na performance e no aumento nas distâncias foi grande com a orientação profissional. Sempre consegui tempos mais baixos que o esperado nas provas alvo.

Não é fácil conciliar os treinos com todo o restante, mas com planejamento e disciplina é possível. Faço algumas viagens a trabalho, fico a semana fora, a roupa de corrida e o tênis fazem parte da mala e nunca são esquecidos. Com os aplicativos que usamos é possível fazer o treino em qualquer cidade, basta encontrar algum lugar para correr.

Treinar com a orientação de um profissional torna as coisas mais simples, porque após discutirmos metas e objetivos, o treinador faz a programação dos treinos e depois do feedback faz a análise e as correções, quando necessário. Não falo só sobre ganho de performance, mas falo em terminar uma corrida dentro do tempo planejado sem sofrer, fazendo com que a corrida seja algo prazeroso.

A corrida não faz bem somente para a saúde, lembrando que eu eliminei 50 quilos em todo este processo. Mas também faz um bem danado para a cabeça e aumenta a autoestima. E também tem as grandes amizades que o esporte nos traz. As amizades criadas dentro desse universo de corrida é uma parte muito importante e ajudam a nos manter ativo de todas as formas. Muito gratificante ser reconhecido pelas ruas pela galera das bikes e pelos amigos da corrida, afinal sempre treinamos nos mesmos trechos. Volta e meia ouço “aê Bolaxa”… esse é meu apelido!

Durante a pandemia me mantive ativo. Moro em cidade pequena e foi possível transferir as rodagens para lugares mais isolados. Mas alguns objetivos foram adiados e para não perder a motivação, participei de corrida virtual, fazendo minha segunda maratona.

Ainda em 2021 e em 2022 pretendo fazer ao menos uma maratona por ano e assim que as coisas estiverem melhores pretendo me tornar ultramaratonista.

Um sonho é correr uma grande prova fora do Brasil. Gostaria de participar de uma Major. Maratona de Nova York, Berlim ou Londres, qualquer uma dessas três seria um sonho!  

Não sei onde essa história de corrida vai me levar, só sei que não vou parar! #bolaxabreaking4″

239 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *