raissa zortea

Raissa Zortea é atleta da Frank Silvestrin Assessoria Esportiva. No dia 21 de abril esteve no Vale das Videiras, em Petrópolis, Região Serrana do Rio de Janeiro, para a APTR Videiras Ultra Sky Marathon. Confira o seu relato!

“Cheguei em um momento da vida que ando tão desgastada com certas coisas que aguardo às vezes um convite para participar das provas, e se não for algo que estou planejando há anos, um desejo, um sonho… eu vou na onda dos amigos ou dos convites. Foi o que ocorreu com Videiras. Recebi convite da organização e notei que encaixava bem na minha fase de treinos. Estudei a prova e notei que o desnível acumulado seria perfeito para treinar subidas e descidas para minha prova alvo, e realmente foi.

Na minha prova alvo o pace será algo em torno de 20´/km, exatamente pelo grande desnível a ser enfrentado. Em razão disso meu atual objetivo é sofrer desgaste para subir e descer constantemente para então prever um ritmo médio suportável a longo tempo. Estudei rapidamente Videiras, sendo 65km em 14h. Isso me daria um ritmo médio de 12’55’’/km. Pronto, ali me bastava e foi o que me propus a realizar.

O que eu não sabia, é que haveria um corte esgoelado no meio da prova. Inicialmente víamos o site da prova sinalizando corte de 6h em 28,5km. O que manteria esse pace médio em torno de 12’/km coerente. O que não esperávamos é que esse corte fosse substituído para o km 38 nas mesmas 6h. Eu iniciei a corrida imaginando que o corte seria no km 28,5, já no meio da corrida descobri que seria no km 32, quando cheguei no km 27 me disseram que ainda teriam 7km, ou seja, seria no km 34, e quando cheguei no km 34 descobri que seria no km 38. Bom, eu não sou nem um pouco a rainha da paciência, aos que me conhecem. Já tinha isolado o balde no km 28 (que cheguei dentro do tempo previsto), ainda tinha esperanças na regra de três, mas me foi dito que sim o corte seria mantido nas 6h. Amigos calculemos: 38km em 6h pace médio de 9´30”/km. Realmente reduzido ao inicialmente proposto.

Notou-se, então, que o último corredor a ultrapassar este corte de 6h fechou a prova com 11h. Sejamos explícitos, 11h é bem abaixo das 14h propostas. Eu sou engenheira e calcular para mim é muito simples, eu corro fazendo cálculos, acredite. Realmente é algo que eu gosto e o que me move, quando eu estava no km 13 com 3h e me disseram você deve chegar no km 32 com 6h, eu até imaginei possível, mas meu esforço deveria aumentar singularmente ao que eu estava planejando. Até cheguei com 6h no km 28,5 do site, o que gerou um planejamento preciso da minha parte. Na realidade eu até tive que me esforçar um pouco a mais devido a um ocorrido nos primeiros 2 km de prova. A prova iniciou e após poucos metros entramos em um leito de rio, para andar com água pela cintura nos primeiros 2km de prova. Gente, sério, andar num leito 500m ok, mas 2km?raissa zortea1

Não por mim, eu não vejo problema, faço tranquilamente, o problema era o meio mundo que estava na minha frente. Meus primeiros 2km de prova duraram 1h. Então você já reduz drasticamente sua média. A minha a dica é, em trechos que irão gerar tráfego de corredores, como single tracks ou nesse caso: rios, você deixa para quando as pessoas se dispersarem. Não tem como ultrapassar um colega que não sabe como caminhar dentro de um rio contracorrente (que em trechos chegaram ao meu pescoço). Eu até acho falta de respeito não respeitar a fila. Então às 6h da manhã eu já estava completamente encharcada, dos pés à cabeça, e não satisfeito São Pedro iniciou uma chuva.

Também nada contra a chuva, porque eu já parecia contar com isso. Virou rotina eu correr na chuva. Mas devemos entender que o comportamento do solo muda. E as descidas íngremes técnicas exigem mais cautela. Descidas que poderíamos fazer a pace de 5´/km se transformaram em caminhada da 3ª idade, dançávamos literalmente lambada.  E mesmo com todos esses percalços, no km 28,5 eu estava com minhas 6h. Infelizmente o corte foi subitamente deslocado a dez quilômetros a mais, onde não consegui atingir dentro do tempo estipulado. Fechei 38km com 2200 de deslocamento positivo na lama e dentro de leito de rio em 8h. Posso dizer que fiquei satisfeita dentro da minha proposta pessoal. Fiquei muito feliz em encontrar os amigos e conhecer a região serrana do Rio de Janeiro. Porém, sugiro cortes serem bem calculados e explícitos. Outra sugestão é serem abertos com os trajetos. Existe organizador que se nega a deixar corredor saber onde vai correr. Pelo amor de Deus!

Enfim, tanto organizador, quanto corredor devem ser abertos um com o outro, e deixar claro o que se passa e o que se vê durante as provas de que participamos, sem benefício próprio. E não digo isso por Videiras, pois foram claros, ocorreu só uns erros de cálculos digamos. E já expuseram seus erros no Instagram, bela atitude. Então bora!”

Compartilhar:

132 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Escreva uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *