Bacharel em Direito e empresária, Melissa Bastelli, 43 anos, conviveu anos com crises de ansiedade. Quando ela dava as caras, corria para o pronto socorro. Até que um dia a corrida apareceu na sua vida. Hoje, essa moradora de Mairiporã-SP e atleta da MB Personal Trainers, tem corrida uma aliada de peso. E as crises de ansiedade… Confira!

“Comecei a correr depois de ter ido algumas vezes ao pronto socorro devido a crises de ansiedade. Sempre gostei de yoga e caminhada, mas nunca me interessei pela corrida. Foi sugestão do meu cardiologista, depois de todos os exames estivessem normais, a prática de uma atividade aeróbica para aliviar o stress e consequentemente a ansiedade. Me lembro como se fosse hoje as palavras dele naquele momento: “você precisa equilibrar mente e corpo, intercalar caminhada e corrida pode ajudar muito”.

Para ser bem sincera, não achei que daria certo ou que eu conseguiria, porque realmente nunca gostei de correr, nem na época do colégio. Mas um dia, na minha caminhada matinal, resolvi experimentar uma corridinha de leve até o poste no final da rua. Aquilo me deixou tão exausta, mas ao mesmo tempo foi uma sensação tão boa que resolvi me desafiar a fazer mais vezes.

Aí o amor pela corrida foi acontecendo dia após dia. Até que algum tempo depois, me inscrevi na minha primeira prova. A intenção era me manter motivada, pois a ansiedade realmente estava controlada e o melhor, sem precisar fazer uso de qualquer medicação. E assim, em 27 de março de 2017, concluí os primeiros cinco quilômetros da minha vida! Cruzar o pórtico de chegada foi uma das melhores sensações que já havia experimentado. Dali para frente decidi que nunca mais deixaria de me desafiar e me cuidar para que a corrida fizesse parte da minha vida o máximo de tempo possível.

Fui aumentando aos poucos a distância, participando de várias provas de 8, 10, 15 e 21 quilômetros. Até que um dia sonhei ainda mais alto e a maratona era realmente o maior desafio. Mas eu sabia que precisava de ajuda profissional para que tudo saísse da melhor forma possível. Foi aí que a MB entrou na minha vida! E depois de seis meses de preparação concluí a minha primeira maratona, a SP City.

Em 28 de julho de 2019 me tornei maratonista. Meu marido e meus dois filhos me esperavam na chegada com flores e um lindo cartaz. Não dá para mensurar o tamanho da felicidade que senti, aliás até hoje me emociono muito ao relembrar toda jornada até aquele momento. O que só reforçou o amor e a certeza de como a corrida era importante para mim.
No início de 2020, eu já estava inscrita em oito provas, incluindo a Maratona de Buenos Aires, mas com a pandemia mudou tudo, adiando sonhos e novos projetos.

Sinto saudades, mas sei que é passageiro. Para não perder a motivação de treinar me mantive focada nas planilhas de treinos da minha assessoria, fazendo as adaptações necessárias para não deixar de correr, afinal nesse momento de tantas incertezas se faz ainda mais necessário cuidar das emoções tanto quanto da saúde física. E mais do que nunca a minha maior aliada nessa incrível jornada, é a corrida nossa de cada dia.

Quanto a ansiedade… raramente ela tenta dar as caras. Quando isso acontece, coloco o tênis e literalmente boto ela para correr!”

234 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *