A personal trainer e treinadora de corrida Eliane Moraes, da Assessoria Correndo 321, correu sua primeira meia maratona em novembro do ano passado. Sem pressa, ela já fala em maratona, distância que só deve correr em 2023. Enquanto isso, faz com que seus alunos em São José dos Pinhais e em Curitiba-PR, sigam os mesmos passos e evoluam com consistência e regularidade.

´´Comecei a correr em 2000 quando cursava Educação Física. A corrida sempre fez parte dos meus treinos, mas prova mesmo só em 2013, quando ganhei uma inscrição em um sorteio. E assim eu corri a minha primeira prova. Só em 2014 repeti a dose. Em 2018, quando iniciei as atividades da assessoria é que passei a participar das corridas de rua com mais frequência.

E assim vim até o ano passado, correndo provas de 5K e fazendo treinos de até 10K. Comecei a fazer treinos mais longos e em novembro fiz minha primeira meia maratona. A corrida faz parte da minha rotina e nem poderia ser diferente. Desde que comecei a correr minha única dificuldade foi uma fratura por stress em 2018.

Lido diariamente com os atletas e por experiência profissional, posso dizer que a assessoria tem inúmeros papéis: entender o aluno com suas particularidades, dar o suporte e o equilíbrio muscular necessário, auxiliar nos “acidentes de percurso”, como dores nos pés, quadril, joelhos e outros causados pela falta do equilíbrio muscular.

Procuro passa para todos o que a corrida significa para mim, superação e evolução. É um encontro com seu mundo, seus problemas, suas frustrações e principalmente seus sonhos.

Como todos, tive fases com menos dedicação, porém como foi um período pós-lesão, no começo fiz várias provas virtuais, até que agora finalmente me preparei melhor para essa prova mantendo mais disciplina nos treinos.

Entrei em 2022 treinando com o objetivo de fazer mais duas meias e a Volta da Pampulha em dezembro, que é um sonho pessoal. E a partir daí começar a pensar em uma maratona, mas sempre procurando melhorar nas meias´´ .

258 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *