A corrida tardiamente entrou na vida do corretor de cereais Washington de Oliveira Terra. Mas entrou com uma intensidade impressionante. Morador de Maringá-PR, Washington completa 71 anos nos próximos dias e começou a dar os primeiros passos na corrida há apenas sete anos. Confira!

´´Comecei a correr em 2014, já com 63 anos, pensando em melhorar meu condicionamento físico e ter uma velhice saudável. Durante dois anos eu treinei sozinho, sem assessoria. Praticamente era só rodagem, não fazia outros tipos de treino e até cheguei a participar de algumas provas de 5 e 10 km. Mas me faltava técnica e simplesmente não evoluía.

Em 2016 eu decidi entrar para o Clube Ingá de Corridas e aí as coisas começaram a mudar. E como! Fui melhorando, já consegui ganhar vários pódios na minha categoria e já corri sete maratonas, entre elas duas vezes a Uphill Marathon.

Neste período de pandemia na Meia Comrades (45 km) e na Maratona Wings for Life, eu conquistei o primeiro lugar da minha categoria. Fiz algumas provas presenciais e fiquei sempre entre os cinco primeiros. Aliás, meu RP nos 42K foi conquistado em 2019 na Maratona de Curitiba: 3h39min51.

Nesta evolução, a assessoria foi de fundamental importância. Porque foi com eles que aprendi a utilizar as melhores técnicas, melhorando a minha aerodinâmica e diminuindo o meu esforço.

Conquistar o que conquistei em sete anos não é algo fácil. É preciso ter uma agenda bem organizada e muita determinação. Só assim se consegue conciliar todas as atividades, algo que tenho conseguido fazer numa boa.

E eu posso sentir o impacto em minha vida das escolhas que eu fiz quando resolvi praticar corrida. Aos 70 anos tenho uma saúde maravilhosa e não tomo qualquer tipo de medicamentos, só alguns suplementos preventivos. E os benefícios para a saúde mental…nem se fala! A corrida tem me proporcionado amizades maravilhosas. Mas nada vem de graça. Durante a pandemia, por exemplo, estava proibido correr em locais públicos e eu segui treinando dentro do meu condomínio, todos os dias.

Assim, eu chego com força total para mais uma maratona, a de Internacional de Floripa, no próximo dia 28.

E já começo a pensar em 2022. Em dezembro completo 71 anos, então não tenho planos ousados a longo prazo. No próximo ano pretendo correr as maratonas de Porto Alegre e Curitiba. O grande desafio são os 90K da Comrades, na África do Sul, dia 28 de agosto, prova para a qual já estou inscrito. Gostaria muito de correr também a Maratona de Boston.

Se Deus preservar minha saúde, pretendo correr pelo menos umas três ou quatro maratonas por ano, sem contar as provas curtas de 5, 10 e 21km´´

252 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *