Marcos Alberto, 56 anos, corretor de imóveis, conheceu a corrida de rua, digamos, na marra! Peder de 10 a 15 quilos era essencial para fazer a cirurgia bariátrica. Em 2019, Marcos pesava 125 quilos em 1,70 m de altura.

Na orla de Ponta Negra, em Natal-RN, ele começou o processo, foi perdendo peso e acabou desistindo da cirurgia. Hoje…. bem, hoje é capaz de correr 10K em 47 minutos e subir ao pódio em terceiro lugar na faixa etária. Confira!

“A corrida começou a entrar na minha vida quando decidi fazer uma cirurgia bariátrica, em agosto de 2019. Na época eu pesava 125 quilos e o médico cirurgião me aconselhou a emagrecer de dez a quinze quilos para poder realizar o procedimento cirúrgico dentro de uma “margem” de segurança. Foi aí que eu “acordei” para a realidade e pensei: “se eu consigo emagrecer dez ou quinze quilos, tenho condições de continuar emagrecendo”.

Comecei então o meu desafio para perder meus primeiros quilos. Comecei procurando alguns profissionais da saúde, como cardiologista, endocrinologista, nutricionista, psicólogo, psiquiatra… Psiquiatra?! Sim! Fui diagnosticado com depressão.

E tudo começou em 14 de outubro de 2019 com 15 minutos de caminhada em volta do condomínio onde moro. Fui aumentando gradativamente até chegar a uma hora de caminhada. Moro próximo a belíssima praia de Ponta Negra, comecei a frequentar a orla e vi algumas pessoas correndo. Me senti desafiado a começar meus primeiros quilômetros trotando, fui me acostumando, me apaixonando pela corrida e me inscrevi na minha primeira prova, a corrida promovida pelo MPRN (Ministério Público do Rio Grande do Norte) de 6K.  Consegui concluir a prova cheio de dores e ao mesmo tempo com uma sensação de alegria, emoção, choro de dor e emoção. Nesta prova estava pesando 114 quilos. Continuei treinando, mas ainda por conta própria, sem estar em uma assessoria.

Desde que comecei a me exercitar, não tenho dificuldades para encaixar os treinos na minha rotina, pelo contrário. Praticar exercícios foi facilitando tudo na medida em que fui diminuindo o peso. Eu já havia desistido da cirurgia e começado a participar de outras provas, superando a distância em cada uma delas. Então percebi que precisava da orientação de profissionais de Educação Física especializados em corridas de rua, foi quando me matriculei na GO RUNNERS.

A corrida hoje tem um IMPACTO grande no meu estilo de vida, me ajudou e tem ajudado na recuperação. Tinha vários problemas de saúde: diabetes tipo 2, pressão alta, colesterol alto, triglicérides altas, fascite plantar nos dois calcanhares, dores fortes na cervical e joelhos. Tomava seis comprimidos diariamente e com a prática da corrida fui melhorando. Hoje só tomo um comprimido de GLIFAGE XR 500 para a diabetes, que logo, logo me livrarei definitivamente.

Quando começou a pandemia passei a ter mais tempo para treinar e cuidar melhor da minha saúde. Passei a ter uma alimentação saudável. Meus objetivos traçados para 2021 foram todos alcançados, mesmo ainda faltando pouco mais de dois meses para o fim do ano. Corri 7, 9, 10, 12, 15 e 21 km. Esse ano participei de três meias maratonas e vou concluir o ano com mais duas provas 21km. Meu objetivo para 2022 é correr uma maratona até março. No próximo dia 4 de novembro completarei 57 anos e lembro daquela primeira caminhada de 15 minutos há dois anos. Doeu muito e cheguei a chorar! Tenho um agradecimento especial a fazer. Alguém que muito contribuiu neste processo: o fisioterapeuta Pedro Castro.

Hoje estou 92 quilos, mas 12 deles são de massa magra. Resultado de muito suor no ciclismo, na musculação e na corrida, a minha grande paixão.”

252 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *