A advogada Marcela Campbell Feler trabalha com venda de softwares. Atleta, da Valverde Team, do Rio de Janeiro, ela começou a correr em 2013. Depois de anos de desconforto quanto à prática de atividade física, ela conheceu a corrida se “viciou” e, aos 42 anos, com a corrida devidamente instalada em seu dia-a-dia, Marcela está perto de sua maior conquista: os 42K da Maratona do Rio. Confira!

Quando e como a corrida entrou em sua vida?

Em 2013, meu pai, sua esposa e meus dois irmãos fizeram uma corrida juntos. Depois postaram no face uma foto com suas medalhas. Nos comentários eu dei os parabéns e disse que por enquanto eu só corria atrás dos meus filhos, que são três.

Depois de ler, meu pai entrou comigo na Centauro. Eu detestava correr, porque tenho seios grandes e não me sentia à vontade com o esporte. E foi aí que ele ‘me libertou’, pedindo ao atendente uma ajuda pra descobrir um top que me deixasse confortável. Experimentei muitos até conhecer o top cruzado que me deixava tranquila pra experimentar o esporte e quebrar as minhas barreiras.

Depois foi fácil, achamos um tênis na sessão masculina, porque como eu calço 40 e meu tênis é 41. Fiquei dando voltas pela Centauro toda social, de meia calça e saia para testar o tênis e ter certeza do top. Foi inesquecível. Aí ele comprou um kit: tênis, top, corsário e blusa. Gastou o equivalente a um salário mínimo e me disse: “Amanhã você anda dez minutos e corre um. Vai assim até conseguir correr”.

Eu me sentindo culpada pelo valor alto nem discuti, obedeci de pronto! E, pra falar a verdade, foi uma libertação! Adorei a sensação de liberdade de correr por aí!! Logo depois ele me inscreveu na primeira corrida de rua: 5K na Delta Etapa Japão. Consegui completar numa boa e acho que teria feito 10km!

 

MeiaMaratona2Como foi sua evolução até agora nas distâncias? 

A corrida é realmente um vício. Depois da minha primeira prova de rua fiquei ‘viciadinha’ e queria viver a sensação deliciosa novamente! Na verdade eu nem sabia o quanto eu corria, por que não tinha aplicativo nem relógio para controlar. Eu saia de casa na companhia da minha cachorra, a Kiara, dava a volta no Rio Centro e voltava para casa. Descobri que isso dava uns 10 quilômetros. Então comecei a fazer provas de 10K.

Um dia consegui um desconto e me inscrevi numa prova de 10 milhas sem saber que a milha era 1,6 km! Eu estava inscrita numa prova de 16K e só descobri isso dias antes da prova!

Mesmo assim eu fui. Era o Dia das Mães de 2015! E eu pela primeira vez, aumentando a distância no susto! Terminei a prova bem, felizmente na companhia de um amigo que me disse no dia seguinte: ‘Marcela, se você correu ontem 16 quilômetros e está sem dor, você tranquilamente corre 21 quilômetros’. Foi um baque na minha vida e ao mesmo tempo uma alegria ouvir aquilo. Fiquei alucinada pra virar meia maratonista!

Com um pouco mais de treino, sempre sozinha, consegui alcançar meu objetivo de correr os 21K. Já fiz 12 até hoje!

Então, no ano passado, perto de completar 42 anos, resolvi me desafiar novamente. Já que terei 42 anos, quero correr 42 quilômetros! Será um quilômetro por cada ano da minha existência! Aí, correndo pela praia do Recreio, descobri a Valverde Team e o SisRun, que adotei para completar meu desafio na próxima Maratona do Rio!

 

 

A Valverde e o SisRUN são importantes para manter a motivação lá em cima?

Motivação é uma coisa que vem de dentro!! Eu não atribuo a ninguém a tarefa de me motivar, eu mesma faço isso! Mas confesso que ter pessoas envolvidas com ferramentas bacanas ajudam muito a levar a vida de uma forma leve e bacana!

Como a Valverde usa o SisRun, fui aprender a lidar com isso. Eu nunca tinha cumprido planilhas antes! Mas aprendi a obedecer os treinos previstos e dar retorno para que pudesse evoluir.

 

Encontra alguma dificuldade para conciliar treinos, família e trabalho?

Sim! Claro, como não? O lema da Valverde é ‘o nosso objetivo é o seu desafio’. E eu disse pra eles de volta, o meu objetivo é conciliar minha vida pessoal, meu marido, meus três filhos, a escola deles, meu trabalho com meta pra bater, meus treinos com a minha amiga Kiara, as planilhas de treinos, pilates pra fortaceler a musculatura, nutricionista…

 

NightRunComo o esporte interfere na sua vida? Ânimo, força, disposição…

O esporte faz toda diferença na minha vida! Nos dias em que treino primeiro e vou depois para o trabalho o rendimento é outro. Incrível a diferença! Parece que tudo se encaixa, o corpo e a mente rendem muito mais! Às vezes, durante o treino eu acho as respostas de soluções para o trabalho! Se contar, ninguém acredita…

 

Leva para sua vida profissional o planejamento e a disciplina necessária para os treinos?

Sim, sem dúvida! O ideal é planejar o dia, as ações, a alimentação. Mas muitas vezes não me organizo como deveria e logo em seguida sinto falta do que deveria ter feito e não fiz! Mas a vida é um aprendizado e o importante é estarmos atentos para não desperdiçarmos as oportunidades que aparecem na vida.

 

Compartilhar:

127 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Escreva uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *