Fernando de Oliveira Melo Júnior mora em Natal-RN e há pouco mais de um ano sente os efeitos da corrida em sua vida. Aos 35 anos, o empresário confessa que encontra dificuldades para conciliar os treinos com a rotina profissional e familiar. Para mantar a motivação lá em cima, conta a Go Runners. Nos planos para 2019… Confira!

Quando e como a corrida entrou em sua vida?

A corrida entrou na minha vida no dia 2 de janeiro de 2018. Na noite de reveillon, eu disse que 2018 seria um ano para se dedicar à saúde, perder peso e ter mais qualidade de vida. E para isso, o chamado de um amigo que já era praticante de corrida foi essencial.

 

Como foi sua evolução até agora?

Tem sido muito boa, apesar de alguns altos e baixos. Como estava sem fazer qualquer tipo de atividade física e minha musculatura estava muito comprometida por diversas outras dietas malucas e pelo sedentarismo, tive muita dificuldade de adaptação no início, como algumas dores nos joelhos. Nada que me fizesse desanimar ou achar que deveria parar. Pelo contrário, segui com determinação e foco todas as dicas e ensinamentos de Fabiano, treinador e idealizador da Go Runners, equipe que escolhi para me acompanhar nesse processo. E logo de início perdi 10 quilos nos três primeiros meses. Consegui em cinco meses correr meus primeiros 5km, e sempre evoluindo, sem atropelar etapas e atento aos instrutores.

fernando
As conquistas de 2018: dos 5 aos 16K

Acha que a assessoria é essencial para mantar a motivação lá em cima?

Essencial demais. Sem o apoio deles não teria conseguido. Tentei correr por conta própria em três ocasiões e nunca dava certo. E a Go é diferenciada, por que lá encontramos tudo, apoio técnico e também psicológico, por que correr é uma terapia. Entramos e formamos uma grande família.

 

Pensa em alguma prova? Qual o seu sonho nas corridas?

Quando entrei, sempre falava que minha meta era perder peso e manter o peso com saúde, mas quando você é picado pelo bichinho da corrida e das provas de rua é inevitável não pensar em distâncias. Na verdade, é até importante focar em uma meta, para te dar mais ânimo e disposição.  Em 2018 acabei focando em fazer a ‘Ginga com Tapioca’ que são 16km. Me sentia preparado, mas tinha dúvidas e infelizmente na semana da prova tive uma viagem de trabalho bem pesada e mesmo muito cansado da viagem fiz a prova. Acabei me lesionando e em 2019 ainda não consegui engrenar os treinos. Mas a meta para esse ano é conseguir correr uma meia maratona. Mas o foco é ficar bem de saúde sempre.

 

fernando3-1974617656-1551180001330.jpgEncontra alguma dificuldade para conciliar treinos, família e trabalho?

Muita dificuldade! Mas eu costumo dizer que tempo é uma questão de prioridades. Tenho uma empresa há 20 anos, que me toma um tempo razoável, e ainda em 2018 comecei a tocar outros projetos em paralelo. Tive também mais uma filha! São duas agora e sou uma pessoa de hábitos noturnos, o que impossibilita treinar cedinho. Então arrumar tempo para treinar é sempre um problema. Mas não deixo de cumprir à risca minha planilha semanal. Até nisso o método da Go ajuda muito, por que treinamos apenas três dias da semana e se não consigo ir nos locais de treino, Fabiano passa a planilha e instruções para que eu possa treinar em qualquer lugar. Assim vou conciliando.

 

Como a corrida interfere na sua vida? Ânimo, força, disposição…

A corrida é terapia de verdade. Quando estou cumprindo os treinos bem certinho sou outra pessoa, mais alerta, mais animado, mais disposto. Minha rotina não é fácil! Durmo pouco, me alimento na rua, muitas vezes no carro, e antes da corrida só vivia muito cansado. Pensava até que se fosse treinar ficaria mais cansado, mas não foi isso que observei. Ganhei disposição e ganhei também saúde mental. Quando estou na pista, os problemas do dia ficam na sola do tênis. Durante as horas e os quilômetros do treino, a minha cabeça só pensa na corrida. Isso me transforma.

Compartilhar:

Escreva uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *