Mecânico de eletrodomésticos, Nilson Cardoso Júnior mora em Içara-SC. Começou a correr meio na brincadeira numa aposta com um amigo. Logo a brincadeira virou uma coisa séria. E não importa se são 5K ou 82K, os treinos sempre são buscando a melhor performance. Confira!

“Tudo começou em uma aposta com um amigo. Ele ia fazer teste de aptidão física em um concurso para a polícia e estava treinando corrida. Ele disse que eu não conseguia fazer 4.800 metros em 30 minutos.  Topei o desafio e fiz em 27 minutos. Quase morri, mas venci a aposta e levei vinte reais. E o melhor de tudo é que inseri a corrida em minha vida e não parei mais de treinar.  Corria por esporte, até que pouco tempo depois uma tosse crônica que eu tinha começou a sumir. Hoje corro também por minha saúde.

A evolução tem sido gradual. No início, corri 4,8km em 27 minutos e hoje, 13 anos depois, corro os 5K para 17:32. Eu saía para correr 5Km pelo menos três vezes por semana e fiquei encantado com uma prova de 52K que conheci logo no meu primeiro ano de corrida: o ‘Desafrio’, em Urubici. Já fiz esta prova cinco vezes.

E nessa minha evolução, já foram umas dez maratonas: Porto Alegre, Uphill, Floripa, Curitiba… A mais rápida foi em Porto Alegre, em que eu larguei para tentar ser sub3h. Estava bem até o km 18, com pace de 4:05, mas comecei a sentir câmbiras. Mas assim saiu uma maratona em 3h17min. A de Floripa também foi top! Fui de pacer para uma amiga que acabou sendo a quinta colocada no geral.

 
A corrida significa muito para mim. Mudei o meu comportamento! Eu era muito na minha e a mudança foi da água para o vinho. Passei a dar mais valor às coisas com as quais eu não me importava e também às pessoas. Me tornei uma pessoa melhor!

Em relação ao tipo de corrida, sou mais do asfalto do que das trilhas, mas quando junta as duas fica perfeito. Antes dessas mudanças impostas pelo coronavírus eu vinha treinando para o Desafio Samurai. Agora também está nos planos a Travessia Torres Tramandaí, com 82Km solo. E quem sabe melhorar um pouquinho nos 5K. Em outubro, no Dia das Crianças, planejo correr algumas dezenas de quilômetros na esteira, em Criciúma. O objetivo é arrecadar brinquedos para doação.

E dentro deste processo, minha assessoria, a M3 Grupo de Corrida, é fundamental. Mesmo que você já tenha experiência de como correr, tem que ter um profissional formado para lhe passar os treinos. E também as amizades dentro da equipe, que são fundamentais para uma boa evolução.

Compartilhar:

180 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Escreva uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *