Analista Ambiental do Serviço Florestal Brasileiro, Marcelo Fontana da Silveira, 43 anos. Mora em Brasília e treina à distância com Move Better, de Sorocaba. Este ano, seguiu à risca a planilha e foi premiado com seu melhor tempo em uma maratona. Confira!

´´Sempre gostei de correr e a corrida entrou na minha vida em 2013, quando passei a treinar por planilhas da internet. Fiz isso por dois anos até o nascimento da minha filha em 2015. Com toda a correria do trabalho e que uma filha pequena traz, fiquei sem correr até 2019, quando a vontade de correr me chamou novamente.

Treinei com o aplicativo de uma marca esportiva até fazer uma meia maratona. A partir dali eu senti a necessidade de ter um treinamento mais direcionado e que eu pudesse evoluir de uma forma saudável e natural. Foi aí que procurei a Move Better, onde estou hoje, aos cuidados do treinador Lucas.

Nesses três anos de assessoria, minha evolução tem sido muito boa. Sempre aumentando as distâncias, até a maratona, e sempre baixando os meus tempos.

Tenho uma rotina muito puxada no trabalho, e com as atividades da minha filha, preciso acordar às 4h30 da manhã para correr. Como nunca fui de dormir muito, me adaptei muito bem à essa rotina, conseguindo assim conciliar tudo.

Considero a corrida fundamental na minha vida atualmente. Ela me trouxe saúde, qualidade de vida e pude influenciar positivamente a vida de outras pessoas próximas a mim, como a minha esposa e minha irmã, que passaram a correr também.

Por correr muito cedo, durante a pandemia consegui manter muito bem os treinos, encontrava poucas pessoas na rua e sempre usava uma bandana ao cruzar com alguém.

A principal meta para 2022 era a Maratona Internacional de Porto Alegre. Fiz o meu melhor ciclo para uma maratona e consegui terminá-la com 3h28min.

O objetivo é continuar sempre a evoluir na corrida, já que no ano que vem faço a Maratona de Chicago, para a qual estou inscrito desde 2020 e que não consegui fazer por causa da pandemia.

Meu maior sonho é poder conquistar o índice para a Maratona de Boston. Sei que com disciplina e dedicação, seguindo direitinho os treinos do meu treinador, uma hora irei conseguir.

De qualquer forma, sigo feliz em correr. A corrida me torna uma pessoa melhor.“

281 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *