longatto

A bióloga Juliana Longatto tem 31 anos e acaba de viver uma nova experiência em sua ainda curta vida de corredora. Moradora de Piracicaba e atleta da Vivaz Assessoria Esportiva, Juliana correu com o marido Gustavo a Canastra Warriors, prova trail de visual exuberante no Parque Estadual da Serra da Canastra.

Juliana começou a correr em 2015, com as orientações do treinador Diego Capello. Em 2017 decidiu encarar os treinos com mais dedicação e seriedade. Desde então vem evoluindo nas distâncias e buscando novos desafios. Confira!

longatto1Como surgiu a vontade de correr provas trail?  

Na verdade, a ideia partiu do meu esposo, que é meu parceiro de corrida. Foi ele quem começou a falar sobre trail run. Minha primeira prova na modalidade foi a Corrida Explore, no Horto Florestal de Tupi, em Piracicaba, Corri 5K e para minha surpresa fiquei em  3° lugar na minha faixa etária. Depois veio a Trirex, em Brotas. E a mais recente foi a Canastra Warriors, em 24 de Março. A largada fio no Arraial de São João Batista de Canastra, em Minas.

 

Qual a sensação de correr tendo a natureza como cenário?

Para mim a sensação é bem diferente de correr no asfalto. Primeiro por todo visual e beleza durante a prova, quando se é possível observar. Mas também no pré e no pós prova. Depois, pela energia que é possível sentir. Talvez por ser um ambiente mais imprevisível e com obstáculos, como passar dentro de rio ou sobre pontes estreitas, descidas, pedras e por aí vai. Acaba sendo mais emocionante.

Como foram os treinos para esta última prova?

Os treinos específicos para a Canastra Warriors iniciaram em janeiro, quando fiz a inscrição para a prova. Seguir o planejamento proposto foi essencial para o resultado obtido. Os treinos foram focados principalmente em percursos com subidas, fortalecimento e resistência.

longatto2Sentiu-se desafiada?

Com certeza, a prova foi desafiadora do início ao fim, tanto física quanto mentalmente.

Já está pensando em outros desafios?

Sim, já estou inscrita em outras duas provas aqui pela região ainda esse ano! A primeira etapa da Trirex, em Brotas, e a Wolf Series em Americana. Talvez algumas outras possíveis, como a Explore Noturno em São Pedro.

Fale um pouco sobre seu desempenho nesta última prova…

Um pouco antes da largada, o locutor adiantou que o percurso entre os quilômetros 2 e 6 seria de single track. Aproveitei o primeiro km para fazer um bom tempo pessoal. As subidas começaram junto com o single track e nessa parte foi concentração total, para não pisar no corredor à frente e nem tropeçar ou cair com os obstáculos naturais que esse tipo de prova oferece. O último km, também de subida, foi o momento de tentar manter o ritmo e posição na prova. Felizmente consegui finalizar no 4° lugar geral.

E no asfalto, ainda tem desafios que espera superar?

Sim, ainda tenho desafios a superar no asfalto! O próximo será uma Meia Maratona. Estou me preparando para realizar minha primeira prova de 21K no segundo semestre desse ano, mas ainda não decidi qual.

Como a Vivaz e as planilhas do SisRUN te ajudam nestes desafios? 

O Professor Diego Capello prepara os treinos de acordo com o objetivo de cada aluno da assessoria. Ele pede a todos que definam as metas a curto, médio e longo prazo. No meu caso, com as planilhas disponíveis no SisRun e os treinos propostos são seguidos à risca. E com sincronização automática dos treinos o professor recebe o feedback e acompanhe o desenvolvimento a cada atividade realizada.

Compartilhar:

123 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Escreva uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *