Bruna Sales trabalha com planejamento comercial em São Paulo. Começou a correr em 2015, sem qualquer pretensão de tempo ou distância. Hoje, aos 33 anos, mantém o jeito meio despretensioso, mas, com a MB Performance já leva os treinos mais a sério e faz alguns planos para o futuro. Confira!

´´Comecei a correr em 2015 para emagrecer. Como eu não podia pagar uma academia, fui tentando com a corrida. Era meu momento depois do trabalho, sozinha e ouvindo música. Fui pegando gosto e percebi que amava correr, era um momento muito gostoso do meu dia.

Nunca levei a corrida a sério, nem fui competitiva com ela. Simplesmente era meu momento. Então corri de 2015 a 2019 e participei apenas de uma prova de 5k. Com a chegada da pandemia e do isolamento social, comecei a usar uma assessoria de corrida e percebi que fazia muita diferença. Esse ano estou focada em diminuir meu pace e em correr distâncias maiores. Por causa disso acabei de fazer minha primeira prova de 10k.

Como grande parte das pessoas, eu tinha uma rotina muito intensa pré-isolamento da pandemia e agora tem sido difícil retornar. Trabalhar em casa acaba demandando mais horas e muitas vezes passo o trabalho na frente da corrida. No momento estou no processo de tentar equilibrar tudo e priorizar algo que me faz tão bem.

A assessoria me ajudou demais nesse processo. Ter o Manu me cobrando e me incentivando, dando ideias de provas, vibrando com minhas conquistas, me ajuda demais. Fora que é mega importante fazer os treinos diferenciados. Evoluí muito na postura, no jeito de correr e hoje corro sem música, focada e presente no que faço.

A corrida me lembra que nem sempre eu preciso me superar, ser a melhor, ser a corredora perfeita para ser feliz. Simplesmente sair de casa, sentir o sol, o vento e o prazer de correr já são o suficiente. A corrida me ensinou que eu posso fazer as coisas somente por prazer e não por obrigação ou esperando algum resultado.

Os treinos na pandemia não encaixavam uma frequência boa. Tive uma inflamação na canela em 2021 que atrapalhou bastante. Mas este ano quero encaixar a corrida na minha rotina, fazer outro exercício para fortalecer e aguentar correr mais. Quem sabe correr a São Silvestre em dezembro.

A longo prazo tenho muita vontade de correr provas pelo mundo e ter medalhas de diferentes países. Deve ser muito legal conhecer outros lugares correndo“.

275 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *