A psicóloga Valdete Bilesimo mora em Içara-SC e tem a corrida em sua rotina de vida há cinco anos. Atleta do M3 Grupo de Corrida há cerca de um ano, Valdete sonha virar ultramaratonista e já tinha até data para isso, mas a pandemia do coronavírus vem ameaçando seus planos. Nada que a determinação desta corredora não consiga superar. Confira!

Como foi seu início na corrida? 

Comecei correndo na esteira da academia em 2015, com o objetivo de queimar algumas gordurinhas que me incomodavam. Uns seis meses depois anunciaram da 1ª Meia Maratona de Criciúma. Meu filho, Luiz Eduardo, que também corre, me convidou para correr. Já de inicio me desafiei a correr 10Km e foi paixão à primeira corrida. Amei tudo! Tudo! A galera, a energia, o barulho, a música, a prova, o pós-prova… Inexplicável como me apaixonei pela corrida de rua.

Como tem sido sua evolução?              

Meu objetivo nunca foi tempo numa prova, mas me divertir. Porém, ao longo desses anos, percebi que minha corrida não era tão eficiente como poderia ser, observando principalmente pela foto que meu fotógrafo particular (risos), Ronaldo Bilesimo, meu maridão, registrava. Assim, decidimos meu filho e eu, procurar uma assessoria que nos auxiliasse neste processo de melhorar a técnica, principalmente como preventivo de lesões. Procuramos um professor, que por um ano nos ajudou muito com a técnica e com isso a baixar o pace. Mas éramos só nós dois aqui em Criciúma e eu queria estar junto de mais pessoas com o mesmo objetivo, correr, se divertir, fazer amigos… Então procuramos a M3, onde encontramos mais que um grupo de corrida, encontramos um grupo de amigos que correm, que estimulam o crescimento e vibram com a evolução de cada participante.

Em 2015, corri meus primeiros 10km em 1h06min, hoje faço em 54min. E com certeza se eu quiser, posso ainda melhorar o tempo, mas como já disse nunca foi meu objetivo. Essa melhora no tempo ocorreu devido ao treinamento.

Comecei correndo no asfalto, mas já no ano seguinte conheci as corridas de trilha e me encantei por correr em r estradas de terra, trilhas, beira de praia, atravessar riachos, subir pedras… Esse tipo de desafio é muito motivador. Hoje, com certeza afirmo que o meu forte são é o trail run.

Como a corrida impacta sua vida atualmente?      

A corrida é minha válvula de escape, meu antiestresse, minha injeção de alegria. Sou muito melhor depois da corrida em minha vida. Hoje, quando planejo uma viagem já observo se existe a possibilidade de participar de alguma corrida e também faço passeios para poder correr. Organizo minha agenda de trabalho considerando meus horários de treino.

Tem planos a curto, médio e longo prazo? 

Já corri duas maratonas e tenho o objetivo de me tornar ultramaratonista. Este seria ou é meu objetivo de curto prazo. Seria em 10 de outubro, em Gramado-RS, mas em função da pandemia do coronavírus não sei se será possível. A médio prazo é fazer algum desafio na Disney e a longo prazo, meus planos são de correr até meus 80 anos (risos).

Como é sua rotina de treinos?

Treino corrida três vezes na semana. Tenho mais dois treinos de fortalecimento muscular o treinamento funcional. Normalmente, os dois primeiros treinos de corrida da semana são mais curtos, com o objetivo de desenvolver resistência, potência, técnica e velocidade. O de sábado, o famoso longão, tem o objetivo de nos preparar para a prova alvo. Então a solicitação do treinador é feita conforme o meu objetivo, sendo que o longão pode ser entre 10 e 30km, dependendo do objetivo que tenho no período.

Como tem sido esse período difícil que vivemos?

Não tem sido fácil. No início, quando não podia de forma alguma correr nas ruas, foi muito triste. Agora podemos fazer as corridas respeitando as orientações e a situação ficou um pouco melhor. Mas sinto muita falta de estar com o grupo, da troca de energia, dos cumprimentos, dos abraços, das provas. Não é fácil, mas não temos o que fazer a não ser colaborar para que tudo isso passe logo para que possamos voltar às nossas velhas rotinas.

Como a assessoria e o Sisrun se encaixam nesta rotina?

Na minha rotina, tanto a assessoria quanto o Sisrun me ajudam a me preparar para atingir meus objetivos. A assessoria com o planejamento e o Sisrun com as informações que facilitam o acompanhamento, tanto meu como do meu treinador, do meu desempenho, desenvolvimento e estratégia de mudança quando necessário.

Na corrida tem uma frase que diz assim: “Sozinho posso ir mais rápido, mas junto vamos mais longe”. Este é meu objetivo, ir muito longe com a corrida rodeada de amigos na mesma vibe.

Compartilhar:

205 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Escreva uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *