rose go runners2

Dois de junho de 2018. Meia Maratona do Rio. Mais um dia em que muitas histórias serão contadas, relembradas e reescritas. Quem já esteve na chegada de uma meia ou de uma maratona sabe o quanto de emoção tem após a linha de chegada. Cada atleta que cruza aquele pórtico tem sua própria história. E às vezes a gente se pega tentando imaginar que história está dentro de cada corredor.

Se você estiver lá neste dia, fique ligado na dona de casa Rosemare Lebrão, de 51 anos. Moradora de Natal-RN, Rose já começou a reescrever sua própria história. Dois de junho será apenas mais um capítulo. Aí vai uma pitada de mais uma dessas histórias. Que um dia encontrou a corrida e tomou um rumo diferente. Confira!

“A corrida entrou na minha vida em novembro de 2016. Entrou e já foi fazendo algumas mudanças importantes nos meus dias. Mudou o meu humor, o meu ânimo. Melhorou tudo. Hoje eu corro três vezes por semana e estou me preparando para correr a Meia Maratona do Rio. O máximo que fiz em treinos foram 18K.

Estou treinando para correr 21K e busco evoluir a cada dia. Fazer esta prova é como sonhar acordada. Correr é hoje o que mais gosto de fazer. Mas nem sempre foi assim. Até começar a correr eu jamais pratiquei atividade esportiva. Nunca me imaginei correndo 21K. Parecia loucura. E hoje eu vivo me perguntando como consegui viver até sem a corrida.

rose go runners1  rose go runners

São muitas vitórias até aqui. De novembro de 2016 até aqui, eu perdi 30 quilos. Tenho muito mais qualidade de vida. Mais saúde. E me dou ao luxo de me preparar para correr uma meia maratona e ao mesmo tempo sonhar em ir baixando meu tempo nos 21K.

Ainda não penso em correr uma maratona. Estou curtindo a chegada da primeira meia maratona. Mas já me disseram que assistir à chegada de uma maratona é como ser picado por um mosquito. O mosquito dos 42K. A gente vê os outros chegando e quer aquilo um dia pra gente. Quem sabe…

rose go runners3

E não há como deixar de falar da Go Runners nesta jornada. Ela foi e é muito importante. Cheguei neste grupo com sobrepeso, sem coordenação motora. Não corria 500 metros. Graças aos ensinamentos deles e, principalmente por que acreditaram em mim, eu me sinto uma corredora. As planilhas online do SisRUN facilitam todo este trabalho. Recebo meu treino, mentalizo e me preparo para ele. Vou lá e faço!”

Compartilhar:

125 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Escreva uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *