Aos 39 anos, Kennia Isis tem uma intensa rotina de trabalho em Natal-RN. Socióloga e Especialista em Filosofia, ela atua há 16 anos no ensino médio e cursinhos da rede particular de ensino. Casada e mãe de Kaio, de 11 anos, Kennia inseriu a corrida em sua rotina há quase quatro meses. Apesar do pouco tempo, ela confessa que os treinos com a Go Runners já impactam positivamente o seu dia-a-dia. Confira!

Como a corrida entrou em sua vida? Há uma década não praticava atividade física regularmente, apenas esporadicamente. Quando a saúde exigia fazia alguma atividade, mas nada me motivava o suficiente. Um dia conversando despretensiosamente com minha amiga Alessandra Nakamura, ela começou a me falar sobre os benefícios da corrida e me disse que voltaria a praticar com uma assessoria. Na adolescência pratiquei atividades físicas regularmente e sempre tive uma paquera com a corrida, mas nunca acreditei que seria capaz. Mas em meio a essa conversa, com a saúde exigindo, me comprometi em comparecer para ‘fazer um teste’. Minha amiga passou meu contato para o Fabiano Pezzi, da Go Runners, que prontamente conversou comigo. No dia 17 de setembro, às 18h lá estava eu na Alexandrino de Alencar para o meu primeiro contato com a assessoria e minha mudança de vida.

Como tem sido sua evolução até agora? Eu saí literalmente do zero. Estava totalmente sedentária, com sobrepeso e não me achava capaz de correr 100 metros. No meu primeiro dia, fiz avaliação e fui muito bem recebida, mas o que me chamou atenção acima de tudo foi a forma simples e sem pressão com que Fabiano e todos os professores tratam a atividade física. Sou aluna do Professor Rodrigo e nos meus primeiros dias ele já me fez querer ficar porque respeitou as minhas limitações. Cheguei a dizer para ele e Fabiano que se isso não tivesse acontecido eu teria fugido, como já fiz inúmeras outras vezes. Minha intenção era ser mordida pelo ‘bichinho da corrida’ e acho que consegui. Digo para quem quiser ouvir em alto e bom som que se pudesse voltar no tempo teria começado antes. A questão estética é importante, mas nesse momento para mim ela é secundária. Saúde e acima de tudo bem-estar são minha prioridade. A minha rotina melhorou 1000% depois da corrida, me sinto mais disposta, meu sono melhorou e gradativamente me sinto cada vez melhor.

Com Fabiano Pezzi

Acha que a assessoria é essencial para mantar a motivação lá em cima? Se não estivesse numa assessoria não estaria treinando. A Go é a minha primeira é única experiência com assessoria de corrida e tenho certeza que tive muita sorte na escolha, pois cheguei no lugar certo de cara. Ouço muito de outros colegas corredores com mais experiência que nem todas as assessorias são iguais, que muitas deixam a desejar. Gosto muito do conceito de ‘escola de corrida’. Para mim, que sai do zero, foi o lugar certo.

Mira alguma prova especial? Qual o seu sonho nas corridas? Para 2020 tenho um desafio que já tem o aval do meu professor Rodrigo e a benção do mestre Fabiano, que é o Circuito das Estações, que pela primeira vez acontece em Natal. Minha meta é começar o ano com 5K e terminar com 10K. Mas segundo Fabiano, em 2020, treinando regularmente, consigo fechar o ano com os 16K da tradicional ‘Ginga com Tapioca’.

Encontra alguma dificuldade para conciliar treinos, família e trabalho? A atividade física nunca foi prioridade na minha vida, daí a clássica desculpa da falta de tempo. Comecei a treinar corrida num período muito tumultuado do meu trabalho como professora, pois quanto mais perto do Enem mais intensa a rotina. Entretanto fui tão bem recebida e me senti tão engajada e estimulada que mesmo com o tempo contado não deixei de treinar e deu tudo certo. Hoje a corrida é muito importante pra mim, por isso decretei que tenho tempo sempre. Quanto à família, meu esposo e meu filho me estimulam bastante. O segundo, inclusive, sempre que dá vai comigo aos treinos.

Como a corrida interfere na sua vida? Ânimo, força, disposição… Bem, parece discurso pronto, mas não é: a corrida mudou a minha vida! Eu comecei a treinar no dia 17 de setembro do ano passado, então são poco mais de três meses de corrida na minha rotina e consequentemente de uma transformação substancial.  A princípio sempre fui reconhecida pela minha habilidade com as palavras, incentivada obviamente pela minha profissão. Ser reconhecida pelo meu desempenho numa atividade física e seus consequentes resultados é muito novo e extremamente gratificante para mim. Hoje tenho mais ânimo, mais disposição, durmo melhor, procuro me alimentar melhor, me sinto muito feliz e quando chego em qualquer lugar a primeira pergunta que me fazem é: “nossa, você está correndo?” Seguido de um: “queria correr, mas acho que não consigo.” E daí uma conversa sobre como eu consegui se desenrola. Porém, não poderia deixar passar o meu inesgotável sentimento de gratidão a todos que estão contribuindo constantemente nesse meu processo. Minhas amigas corredoras Alessandra Nakamura, Érika Barros e Cláudia Monteiro, meu professor ponta firme Rodrigo, o grande professor e incentivador Fabiano e toda família Go Runners.

Compartilhar:

174 Posts

Jornalista, pai e corredor. Vê a corrida como uma ferramente para fazer a vida fazer sentido. Não se preocupa em ser rápido, nem com a chegada. O que importa é o caminho...

Escreva uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *